Dhisto - Design História e Quotidiano 

 marca Dhisto vertical

Coordinator: Gonçalo Falcão 
Team: Pedro Cortesão Monteiro, João Paulo Martins, Nuno Caniça, 

O Objectivo deste grupo de investigação é o de agregar um grupo de investigadores e de investigações em curso na Faculdade de Arquitetura da ULisboa nas áreas da História e da Historiografia do Design de Comunicação e no Design de Produto, bem como outros investigadores de História do Design. É ainda importante começarmos a definir linhas de investigação conjuntas, de modo a construir uma perspectiva historiográfica mais sólida e prover a futuros investigadores temas para desenvolvimento.

Deste modo, o grupo de investigação que se agrupa sob o acrónimo “Dhisto” (Design, história e quotidiano) procura articular as investigações em curso dos seus promotores e agrupar investigações dispersas de doutoramento e mestrado.

O grupo pretende ainda juntar esforços para a edição de documentos que possam ser referenciais para a História do Design em Portugal, contribuindo para a afirmação de uma perspectiva historiográficainovadora e actualizada em Portugal, na área do Design.

DHisto é um projecto que aborda a História do Design em Portugal a partir de uma perspectiva historiográfica centrada no papel do Design na vida quotidiana e na sociedade, ao longo dos tempos. Ao adoptar tal ponto de vista, esperamos construir uma melhor compreensão do que é Design e ajudar a remover a disciplina do pedestal estéril que frequentemente ocupa: o de uma actividade mal compreendida cujo principal objetivo parece ser o da produção de objectos inúteis ou luxuosos. Assim, o nosso modelo distancia-se das narrativas historiográficas dominantes (responsáveis por grande parte desses equívocos) que mitificam figuras heróicas e objetos icónicos. A nossa perspectiva reforça o caráter essencial do Design, resgatando-o para o papel central que deve desempenhar na sociedade e na economia.

Propomos uma lógica focada no indivíduo: do nascimento à morte, considerando que cada pessoa é parte de inúmeras situações sociais, nas quais o Design está presente, nelas desempenhando um papel crucial (mesmo se silencioso). Esses são os objetos que nos interessam: os que moldam a vida pessoal e medeiam as relações com os outros, com as empresas ou com o Estado: do papel-moeda aos bancos de jardim, do transporte público a formulários do IRS, etc.

Tal abordagem — sublinhando a ubiquidade do Design — reforçará sua importância social, cultural e económica. Ao fazê-lo, espera-se que ajude a mudar a atitude dominante em relação à disciplina, à atividade e aos profissionais, com ganhos óbvios para os cidadãos, para as empresas e para a economia.

Para alcançar tais objetivos, procuraremos transcender as limitações do livro-objecto e privilegiar outros meios de difusão, nomeadamente os materiais audiovisuais destinados à divulgação pela internet e televisão e a produção de materiais didáticos para estudantes e museus.

 

(under construction)