cabeçaho-site-ciaud.png

JORNADA DE REFLEXÃO “QUE URBANIDADE? – EM BUSCA DAS FELI-CIDADES”

Cartaz 4.1 outlineInformamos que será ja no próximo dia 13 de Abril pelas 14h00m que se realiza as Jornadas de reflexão "Que urbanidade? - Em busca das Feli-cidades". 

Há uma ideia de cidade que se libertou dos condicionamentos antropológicos do espaço da sobrevivência humana. O poder apropriou-se des

ta ideia como uma vantagem, servindo-se do que vai fundamentá-la para perpetuar as lógicas de uso e apropriação do espaço (sobretudo no sentido da manutenção de uma certa ordem) Trata-se de: controlar, fragmentar, proibir e permitir as acções humanas no espaço do seu quotidiano. Assim, do ponto de vista das instituições, a cidade é um receptáculo de todos os mecanismos através dos quais os conteúdos institucionais condicionam o nosso perfil de “cidadãos”.

Entretanto, nos seus limites, como conceito e em resultado disto, a cidade vai-se reformulando. E, por aqui, levantam-se sempre as questões associadas aos vários tipos de legitimidade e ao processo de evolução da nossa própria identidade. No nosso tempo, o que é legítimo e o que é identitário ficou reduzido a uma negociação entre o usufruto e a privação de coisas e serviços "qualificados". Eis que, finalmente, a significação recobre o proveito. Não haverá, hoje, uma economia do desejo que influencia decisivamente a nossa relação com as cidades? Só por esta razão torna-se urgente repensarmos o sentido daquilo a que temos chamado urbanidade.

Painel:
Adriana Veríssimo Serrão
Carlos Henriques Ferreira
Isabel Raposo
Jorge Malheiros
José Gorjão Jorge
Manuela Mendes

Temáticas:
Arquitecturas da Felicidade
Economias (da Tolerância e do Autoritarismo)
Ambientes (Bons e Maus)
Memórias e Culturas (deluxe)

Mais informações em:  http://sustenta.fa.ulisboa.pt/que-urbanidade